Presidente Michel Temer é investigado na Lava Jato

743

Conforme informações do site G1, após pedido de investigação da Procuradoria Geral da República (PGR), o relator da Operação Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Edson Fachin, autorizou abertura de inquérito para investigar Michel Temer, atual presidente da república. Com isso, o presidente passa a ser oficialmente investigado pela Lava Jato.

Isso ocorreu devido aos recentes apontamentos de Wesley e Joesley Batista, proprietários do frigorífico JBS, recentemente envolvido em escândalos na mídia e por irregularidades no fornecimento de carne. Os mesmos revelaram em delação à PGR, que gravaram Michel Temer dando aval para a compra do silêncio de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara dos Deputados, atualmente preso pela operação Lava Jato.

Em gravação de março deste ano, o empresário Joesley disse a Temer que estava pagando a Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma quantia mensal para que se mantivessem em silêncio na prisão. Diante disto, Temer responde, em gravação: “tem que manter isso, viu?”, ainda segundo o G1.

Abaixo, nota do Planalto à imprensa sobre os apontamentos:

NOTA À IMPRENSA

O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar.

O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República.

O presidente defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados.

SECRETARIA ESPECIAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA PRESIDÊNCIA”.

COMPARTILHAR